COBERTURA SPFW N44 (parte 2) – Por Juliana Perrone

By  |  0 Comentários

ANIMALE

Vitorino campos se inspirou na sua última viagem ao Vietnam para criar a coleção de verão 2018, com tema “indochina”. A apresentação aconteceu na loja da Oscar Freire, com toda uma estrutura desenvolvida por Houssein in Joroude para remeter um século entre inspiração e criação. Em vez de desfile, celebridades como Juliana Paes, Sabrina Sato e Grazi Massafera entre outras tops exibiram os modelos da coleção caminhando entre os convidados.

Os vestidos tinham aplicações de mini flores por toda a superfície simulando jardins. Nas estampas mesclam desenhos de cerâmica com traços de tatuagens típicas do Vietnam. Botas de couro com saltos de madeira e bolsas com alças de cordas, pespontos em cima da sarja, cetim plissado.

GLORIA COELHO

Nessa edição Gloria fez seu desfile no icônico hotel Unique e diversificou o casting engajando amigas, clientes, atrizes, cantoras e digital influencers.  Adorei o desfile que mostrou mulheres reais, entre elas Alinne Moraes, Marina Lima, Cássia Ávila, Isabela Fiorentino, Camila Coelho, Maythe Birman entre outras.

A inspirada no “the crown” na realeza britânica e nos símbolos da Inglaterra, marcou o verão de Gloria. A coleção teve dois momentos: o primeiro momento com looks mais esportivos, repleto de recortes e maxi capuz finalizados por botas de neoprene (que particularmente eu amei).

Segundo momento: trouxe uma moda praia minimalista e monocromática, que também pode ser usada para compor com transparências.

 

RONALDO FRAGA

Seu desfile ocorreu ao ar livre entre o MAM e o OCA, convidados sentados em cadeiras de praia revestidas com tecido ilustrado por croquis do designer. Engrossou a lista de marcas que colocaram pessoas reais e até deficientes físicos na passarela.

Sua marca foi licenciada por uma grife de beachwear e RONALDO VIU ALI uma oportunidade para fazer uma coleção mais leve nesta temporada. Com um olhar para os anos 20, inspirados nos banhos de mar da época, maios e biquínis em hot pants em tons preto, nude e rosa. tecidos tecnológicos sem costura foram desenvolvidos para a coleção. Os acessórios como os chapéus, óculos de sol e bolsas de couro ecológico foram assinados pela YECWC. A coleção foi retrô e romântica.

COTTON PROJECT

Continuando a temporada anterior da semana de moda, agora a coleção trouxe questionamentos sobre a ansiedade e inquietação urbana que vivemos. O desfile teve dois momentos, sendo o primeiro com referencias as pessoas de terceira idade que caminham pelo bairro de Higienópolis aqui em são Paulo. Calças, camisetas e pulls feitos de moletom e sarja, cartela de cores em tons claros como listras claras e tons mostarda. No segundo momento a Cotton olhou para os mais jovens e nos recorrentes à cura da ansiedade e busca pela paz de espirito, apostando no verde menta e azul piscina e as estampas brincam com o retorno de aturno e o fim da ansiedade.

Destaque para as peças em jacquard com estamparia digital.

 

AMIR SLAMA

O designer teve um olhar para o glamour dos anos 50 para desenvolver a coleção dessa temporada e aposta em um verão retrô e Boudoir. Mistura de hot pants decorados por aplicações sutilmente douradas e tops que jogam todo o foco no busto. Um vestido em seda esvoaçante vermelho contribuiu para a atmosfera de glamour-old-school. Foi um desfile que mostrou uma provocação entre lingerie e moda beachwear. Para os homens, Slama arriscou em sungas com cintura mais baixa. Cartela de cores em tons claros, passando pelo nude, rosa clarinho e em outros momentos listras e cores nos tons vermelho.

 O designer disse ainda que quem manda hoje é o consumidor e ele quer esta próximo do seu consumidor final.

LINO VILAVENTURA

O VERÃO 2017 DE Lino traduziu um pouco dos seus desejos, fazendo uma compilação em tons mais escuros e em outro momento com modelagens assimétricas, mais bordados e devorês e desenhos de linha e por último com longos bordados e transparências super coloridas.

 

TIG

A marca apresentou a coleção com tema “ela é carioca” com uma homenagem as cidade maravilhosa. O desfile teve inicio com peças P&B com imagens do Rio de Janeiro nas estampas misturando vestidos de festa com elementos de boxe, como o elástico na cintura. Em sua evolução vieram às estampas que consagram a marca, ganharam cores tropicais, como azul, lilás e verde bandeira em um jogo que misturou elementos fortes e suaves.

A designer Renata Figueiredo afirma que sua proposta é uma estamparia rica com uma moda vibrante, inserindo elementos pontuais de tendências globais.

HELO ROCHA

COM UMA TEMÁTICA “SONHO TROPICAL” O VERÃO 2018 de Helo vem romântico e doce. Inspirada nas camisolas vitorianas para os shapes e adicionou para este clima de flora tropical, bordados feitos a partir de desenhos de raios-X das plantas, formando textura quase abstratas.

Aposta em tons claros, vestidos com patchwork, perfeitos para a estação atual.

A beleza teve varias tranças de raiz com baby hairs colados à testa, ganhando um ar vitoriano. Blush rosado alongado das maças do rosto ate as pálpebras.

APARTAMENTO 03

Com inspiração no paisagista carioca Lotta Macedo de Soares, a marca levou à passarela um vera relax e cool de corado com grafismos e uma sacada ousada de shorts descontruídos que foram aplicados por cima dos vestidos. Num segundo momento a coleção finalizou com tons brancos, um pouco de jeans e laise com brilho, tudo em referencia a paisagista que almejava para o parque do Flamengo Alfaiataria contemporânea e com referencias no universo masculino com calcas amplas, sobreposições como a do shorts descontruído que citei acima e amarrações.

RATIER

Renato Ratier mantendo o DNA super urbano da marca, veio com piche, formas geométricas e pinceladas únicas. As artísticas plásticas Adriane Lisboa e Sophie Viesse foram convidadas para fazer intervenções na coleção que vai de peças oversized a vestidos fluidos, camisetões e acessórios como pochetes e colares feitos de fragmentos urbanos. Na cartela de cores, vem o branco, cinza e preto e algumas pitadas de vermelho. Renato Ratier também levantou a bandeira do sustentável, a marca garimpou materiais de temporadas anteriores e reaproveitou fazendo uma releitura as peças. No backstage o que se viu foi a pele com aspecto natural e os cabelos femininos com pequenas trancas e rabo de cavalo e nos meninos braços pintados de preto o que remete a inspiração urbana e nos piches.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *